10 abril 2006

O primeiro

“2006, uma paulicéia no espaço

Com apenas quarenta anos de mora, o Brasil conquista o espaço.

[…]

Infelizmente, a cosmonáutica é apenas mais uma prova da ignorância do nosso povo, que canta e é feliz, mas se desdobra em reiterar o desconhecimento da própria história. Aos 15 de outubro de 1957, muito antes de Gagarin, o Brasil ô-ô já ia ao espaço.

O célebre caso Antônio Villas-Boas, agricultor, brasileiro, gente que jaz, covardemente abduzido por três seres de baixa estatura com capacetes incrementados. Que após um exame traumático e minucioso, foi convencido a fazer amor com algo, em suas palavras, "bastante parecido com uma mulher".

Deixaremos os detalhes desta cópula sórdida, pública e aberrante a cargo da imaginação do leitor, para destacar que a expedição, inédita, foi muito mais que uma mera viadagem no espaço. Quando retornou a sua fazenda, Tonico percebeu que também viajara no tempo! Sim, sim, salabim: voltara seis horas antes da abdução.

Vejam, portanto, como samos avançados -- a despeito das doenças tropicais. Muito antes das outras nações terem espasmos alucinatórios com Ícaro, dominávamos não apenas o eixo z, mas até a quarta dimensão. E não se trata de uma conquista apenas tecnológica, meus caros, há de se ressaltar o caráter altamente heróico do nosso herói brasileiro.

Um verdadeiro herói: em vez de matar seu antigo eu, criando um paradoxo espaço-temporal avassalador, preferiu a pecha de pirobo e lunático. Ou por outra: fez questão. Sempre por aí, uivando e se rebolando pra dar exemplo, esse é o povo brasileiro. Viva o povo brasileiro.

O Universo, 40 Dias Antes do Nada

(Excerto de um post de Mozart no Dies Iræ, 18 de Fevereiro de 2006)

1 Comments:

Blogger PhilStudio said...

Brilhante.

10/4/06 12:32  

Enviar um comentário

<< Home

Subscrever Enviar comentários [Atom]