27 janeiro 2010

A propósito de desacordos e tal

diz um anónimo:
A mim não me incomoda que a língua divirja ou mesmo que se falem variantes. O que é escandaloso é a falta de ligações e de instituições que aprofundem os contactos entre Portugal e o Brasil, e vice-versa. Alguém conhece um jornal português que faça boa cobertura do Brasil? E no Brasil também não há nenhum que faça uma boa cobertura de Portugal... Alguém conhece um centro de investigação na área da literatura, história e ciências sociais, com alguma dimensão em termos de financiamento, apoios e pessoal dirigido ao Estudo do Brasil, ou mesmo dos restantes países de língua portuguesa? Os que conheço são minúsculos e os contactos baseados, sobretudo, em redes pessoais. Alguém conhece uma editora portuguesa que publique no Brasil? Uma livraria ou distribuidora que distribua os livros portugueses ou uma outra que faça o mesmo com as publicações do outro lado do atlântico? Mais uma vez há uns exemplos. Mas tão tímidos que nem vale a pena escrever mais.

Anónimo, lisboa. 27.01.2010 10:18

Sou só eu que acho ou este comentário vai mesmo directo aquilo que é (ou deveria ser) essencial – e que está completamente esquecido – nesta discussão de acordos e desacordos e de comunicação enviesada (ou instrumentalizada)?

Etiquetas: , , ,

0 Comments:

Enviar um comentário

<< Home

Subscrever Enviar comentários [Atom]